Loja de produtos naturais – como investir

Com planejamento, dedicação e engajamento, sua loja de produtos naturais alcançará bom faturamento

Loja de produtos naturais – como investir O brasileiro tem procurado, cada vez mais, por produtos mais saudáveis e com preços acessíveis

Na maioria dos países, as mudanças nos hábitos das pessoas têm proporcionado um novo retrato do consumidor: aquele que se preocupa com a saúde o bem-estar. Mas de todos os povos, os norte-americanos lideram como os maiores consumidores de produtos naturais no ranking mundial. Na verdade, os Estados Unidos movimentaram U$ 166 milhões em 2016 – o que equivale a R$ 600 milhões.

Uma boa notícia é que os brasileiros também têm se preocupado mais com a alimentação e em manter um estilo de vida mais saudável. Graças isso, o Brasil, hoje, está no sexto lugar do ranking como um dos maiores consumidores de produtos naturais. De 2015 a 2016, o setor teve um aumento de 10,3% nas vendas. A porcentagem ultrapassou a média mundial de 1,2% - um quadro promissor para o mercado nacional.

Quem pretende montar uma loja de produtos naturais, inicialmente, irá investir em torno de R$ 65 mil. Os maiores gatos serão com a compra dos produtos e o layout da loja. É muito importante que o ponto comercial seja bem localizado – preferencialmente próximo a supermercados ou centros comerciais. Esse tipo de negócio requer bom fluxo de pessoas e a loja precisa estar visível a todos.

Como a maioria dos produtos naturais não são encontrados no mercado, os consumidores sempre procuram lojas especializadas para atender às suas necessidades sem sair do orçamento, é claro. Uma das vantagens do comércio de produtos naturais é a venda a granel. Nessa modalidade, os clientes podem comprar a quantidade de que precisam. Com isso, sempre levam mais variedades, já que o preço fica bem mais acessível.

Nas prateleiras e gôndolas, os produtos devem ser acondicionados em potes transparentes de diversos tamanhos. É essencial que os potes permaneçam fechados e só sejam abertos no momento da venda do produto. Potes maiores são ideais para produtos com maior saída – como blueberries, castanhas de caju, ameixas secas e quinoas, já os potes menores são próprios para itens que não são tão procurados. Dessa forma, é possível manter os produtos sempre frescos e com qualidade.

Não podemos nos esquecer dos temperos e ervas aromáticas, os preferidos de donas de casa, culinaristas e gastrônomos. Além desses produtos, muitos procuram também chás naturais, em especial na época do frio. As variedades são inúmeras, mas é importante destacar que nem todos os chás são autorizados pela Anvisa. Por esse motivo, é fundamental consultar a legislação vigente para se adequar às regras, pois muitos chás devem ser usados com critério.

Com planejamento, dedicação e engajamento, em pouco tempo, os negócios deslancham. Em geral, quando bem administrada, a loja de produtos naturais pode faturar muito, com margem de lucro de, aproximadamente, 80% sobre o valor de custo do produto. Mas também é preciso oferecer aos consumidores produtos sortidos – pelo menos, 220 itens mais populares.

Recomendamos que seu comércio amplie o mix de produtos naturais gradativamente. Avalie os produtos com maior saída, mas não deixe de oferecer produtos diferenciados.

Fonte: PEGN.

Conheça o Curso a Distância CPT Plantas Medicinais e Aromáticas - Colheita e Beneficiamento, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online - elaborado por Celso Trindade e Maria Luiza Sartório, renomados especialistas na área.

Andréa Oliveira 22-05-2017 Gastronomia

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.